09

jan

CAIXA: EDITAL PARA TÉCNICO BANCÁRIO TEM NOVA PREVISÃO: SAI A PARTIR DO DIA 20/01.

 Mudanças de última hora na previsão de divulgação do edital do concurso para técnico bancário da Caixa Econômica Federal: uma fonte ligada à seleção informou à FOLHA DIRIGIDA, nesta quinta-feira, 9, que o documento ficará para a segunda quinzena desde mês – o mais provável é que ele seja liberado a partir do dia 20. Na última quarta, dia 8, essa mesma fonte havia dito que a previsão era que o edital fosse publicado até o próximo dia 15. No entanto, a informação continua indo ao encontro do que havia sido passado pela Assessoria de Imprensa do banco, que informou no último dia 6 que o edital sairá em janeiro. Segue valendo a previsão de que as inscrições sejam abertas este mês, pelo site do Cespe/UnB (organizador). Com a iminência da abertura do concurso, que abrangerá todos o país, especialistas na área afirmam que os candidatos devem aumentar ainda mais o ritmo de estudo, para que conseguirem a melhor classificação possível, de forma garantir uma vaga.

O cargo de técnico bancário exige o nível médio e tem remuneração inicial de R$2.715,04, sendo R$1.875 de vencimento base, R$472,12 de auxílio alimentação/refeição e R$367,92 de cesta-alimentação. Ainda há outros benefícios, como planos de saúde, odontológico e previdenciário, participação nos lucros e nos resultados, auxílio-transporte e incentivo à graduação e pós-graduação (respeitando critérios de seleção e limitação de vagas).

Expansão - Apesar de o concurso para técnico bancário ser para formação de cadastro de reserva, a Caixa está em um ritmo acelerado de expansão da rede e, por isso, haverá muitas contratações durante o prazo de validade do concurso, que deverá ser de um ano, prorrogável por igual período. Até 2015, serão abertas 2.065 agências em todo o Brasil, além de postos de atendimento, lotéricas, pontos de atendimento eletrônico e correspodentes bancários. Em julho do ano passado, foi autorizada a ampliação do quadro de pessoal do banco, pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest), vinculado ao Ministério do Planejamento. Neste ano, poderão ser feitas 4.850 contratações e, em 2015, mais 5.023 admissões. Esses quantitativos referem-se apenas ao aumento do quadro de pessoal, não levando em conta ainda reposição de funcionários e aposentadorias.

Apesar de a Caixa já ter informado que deverão ocorrer alterações no programa do último concurso, realizado em 2012, ele deve ser utilizado como a principal fonte de estudo, segundo especialistas na área. Na época, os candidatos fizeram uma redação e uma prova objetiva.  O exame foi composto por 60 questões de múltipla escolha, sendo 30 de conteúdos de Conhecimentos Básicos (Língua Portuguesa, Matemática, Atualidades, Ética, Atendimento, História e Estatuto da Caixa e Legislação Específica) e 30 de Específicos (Conhecimentos Bancários e Noções de Informática). Houve oportunidades para a área de Tecnologia da Informação, que cobrou as disciplinas de Tecnologia da Informação e Conhecimentos Bancários II na parte específica. Ainda não está confirmado se a próxima seleção contemplará essa área.

Se o edital sair mesmo em janeiro, conforme programado, é muito prpvável que as provas sejam aplicadas em março ou abril, já que o banco precisa homologar o concurso até 5 de julho, quando inicia o período eleitoral (caso ocorra após essa data, conforme legislação, aprovados só poderão ser chamados em 2015).
Ainda este ano a Caixa abrirá concurso para os seguintes cargos de nível superior: advogado, engenheiro, arquiteto e médico do trabalho. A previsão é que todos os editais sejam divulgados no primeiro trimestre. A remuneração para advogado, arquiteto e engenheiro é de R$8.285,04, já incluindo os auxílios, referente a 40 horas semanais. Para médico, a carga pode ser de 20 ou 30 horas semanais, sendo a remuneração de R$4.563,04 e R$6.424,04, respectivamente, já com auxílios.

Primeira colocada de 2012 conta os segredos para conquista da vaga

A fórmula para o sucesso não é fácil de se encontrar quando o assunto é concurso público. O que pode ser bom para alguns, para outros não dá certo, mas um ponto é indiscutível: a vaga só vem com muito estudo e esforço. Para o concurso de técnico bancário da Caixa Econômica Federal, essa combinação não é diferente. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, a primeira colocada no polo da cidade do Rio de Janeiro (e segundo lugar no estado) da última seleção, de 2012, Marcia Motta Ramalho, detalhou como foi a sua preparação para conseguir ser aprovada e obter a melhor colocação. Segundo ela, o segredo é estabelecer uma rotina de estudos.

“Eu fiz um cronograma e fui seguindo tudo o que estava proposto. É importante se planejar para que você tenha um norte, um caminho traçado. Estudava cerca de oito horas por dia, inclusive nos fins de semana. Tinha horário certo para tudo, para acordar, para almoçar, lanchar, tudo bem organizado”, explicou. Marcia deu mais detalhes do seu dia a dia. “Eu estudei de verdade, sem enrolar. Eu estava desempregada, então tive tempo. De manhã, eu estudava uma matéria, à tarde, outra e à noite, uma terceira. E equilibrava todas as disciplinas, para dar tempo de ver tudo. Lia bastante jornal, revistas, via todos os telejornais, para ficar atualizada, isso é muito importante.”

De acordo com ela, o descanso também deve estar planejado. “É preciso dar uma parada, porque o cérebro não aguenta tanto estudo. Por isso, tem que ter um intervalo. Às vezes, a pessoa está ali sentada, acha que está estudando, mas não está, pois está pensando em outras coisas”, destacou. A técnica bancária, que atualmente trabalha na área de Logística do banco, também diz que não estudava para passar em primeiro lugar, apenas para ser aprovada. “A gente não sabe se os concorrentes estão bem preparados ou não. Assisti a várias aulas online, mas não fiz cursinho para todas as matérias, só para redação, Matemática, Informática e Conhecimentos Bancários, pois eram as que eu tinha dificuldade”, lembrou Márcia, que se preparou durante quatro meses.

Para quem pretende participar do próximo concurso, Marcia aconselha ter muita determinação. “Mesmo quem trabalha ou estuda tem que chegar em casa e estudar, nem que sejam apenas três horas por dia. Esse tempo vai fazer diferença e vale a pena. A Caixa vai contratar muita gente, há agências para serem abertas, o que vai ser ótimo. Eu fiz vários outros concurso, mas queria mesmo a Caixa, porque é um lugar onde há muitas chances de crescer. Hoje eu faço faculdade e é o banco que paga.”

Fonte: Folha Dirigida
Por - Maria Gabriela Alkmim - maria.gabriela@folhadirigida.com.br
Compartilhe
  • Orkut
  • Imprimir

Comente

Twitter

Siga-nos!